Sbot MG alerta para perigos

Festas juninas – todo cuidado é pouco. Alerta da Sociedade de Ortopedia de Minas.

Nessa época ocorrem muitos acidentes com fogos de artifício

No mês de junho acontecem as tradicionais festas juninas em todo o país, que se estendem também ao mês de julho. A alegria das quadrilhas e das sanfonas é contagiante, mas um momento de alegria e confraternização pode se transformar em muita tristeza em decorrência dos acidentes com fogos de artifício. Nessa época do ano, muitas pessoas chegam aos hospitais, com queimaduras e graves lesões que acabam levando a amputações da mão devido ao manuseio inadequado desses artefatos.

De acordo com o Ministério da Saúde, entre 2008 e 2016, quase 5.000 pessoas se acidentaram e outras 200 morreram em função do uso inadequado de fogos de artifício. Tradicionalmente, no mês de junho acontece quase 1/3 dos acidentes registrados em um ano. Levantamento do Conselho Federal de Medicina mostra que 45% dos acidentados têm entre 19 e 59 anos e quase 30% têm mais de 60 anos. Os ferimentos mais comuns são no rosto e nas mãos. Preocupadas com essa situação, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, Conselho Federal de Medicina – CFM e Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão – SBCM fazem um alerta sobre os riscos de brincar com fogos de artifício.

Para o presidente da Regional mineira da SBOT, Cristiano Menezes, “a iniciativa é da maior importância, pois são situações trágicas que ocorrem em momentos de alegria e confraternização. A pessoa que estava se divertindo em uma festa, em um segundo pode ter sua vida modificada para sempre ao manusear indevidamente um foguete ou um busca-pé”.

O alerta das entidades médicas é da maior importância, principalmente nos meses de junho e julho, em função das festas de São João e São Pedro. Ele lembra que a venda da maioria desses artefatos é proibida para menores, “mas quase 25% dos feridos por fogos de artifício têm menos de 18 anos”, destaca, chamando a atenção dos país: “crianças não devem jamais brincar com esse tipo de artifício. O recomendado é que somente pessoas treinadas podem manuseá-los”. Nesse sentido, o Dr. Cristiano Menezes recomenda todos observarem as dicas a seguir para evitar acidentes: os fogos de artifício devem ser soltos sempre ao ar livre, nunca em recintos fechados ou perto da rede elétrica; não devem ser soltos também perto de substâncias inflamáveis, assim, verifique antes a redondeza; e, não se esqueça, fique a uma distância mínima de 30 metros do local. Em caso de acidente nunca se automedique. Procure imediatamente por um centro de saúde especializado. Você pode também acionar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 192 ou o SAMU de sua cidade pelo 192.

Importante: fique sempre atento à classificação dos fogos de artifício: Classe A – venda livre; Classe B – venda permitida somente para maiores de 16 anos; Classe C – venda permitida para maiores de 18 anos; Classe D – venda permitida somente para profissionais que possuem licença.

________________________________________________________________

Informação à Imprensa

Luiz Francisco Corrêa (31) 9 99 77 67 14/3586 0937