login
Primeiro acesso? Clique aqui

Este site foi desenvolvido com tecnologias avançadas para
lhe proporcionar uma experiência incrível.
Infelizmente, este navegador não é suportado

Sugerimos que você use o
Google Chrome para melhores resultados.

Dia Mundial do Câncer

3 de fevereiro de 2019

Dados da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (Iarc) revelam que, aproximadamente, 9,6 milhões de pessoas perdem a vida em decorrência do câncer. Infelizmente esses números são anuais.

De acordo com a Agência, até 2030, a projeção é de que este número aumente. Para que isso não ocorra, instituições em todo o mundo se unem.

Como resultado, falam sobre a importância de ações efetivas para ampliar o acesso ao diagnóstico precoce. Elas utilizam o 'Dia Mundial do Câncer', celebrado em quatro de fevereiro, como marco de campanhas.

A campanha 2019

Este ano, organizada pela União Internacional de Controle do Câncer (UICC), a campanha tem como tema “Eu Sou e Eu Vou”. O objetivo é mostrar que apoio e estímulo contribuem para identificação e redução do impacto da doença. Desta forma,  a campanha é direcionada para: indivíduo, Governo, instituições de saúde e comunidade. Portanto, todos devem ser multiplicadores de informação.

Ações no Brasil

No Brasil, foi enviado ao Senado, em 2018, um projeto de lei. Ele pode contribuir com o aumento de diagnósticos em estágios iniciais. O PLC 143/2018, ou PLC dos 30 Dias, foi aprovado pela Câmara em dezembro de 2018.

Em primeiro lugar, ele determina que exames sejam realizados no prazo máximo de 30 dias. A medida é para o Sistema Único de Saúde (SUS). Consequentemente, em casos nos quais há a hipótese de um diagnóstico de câncer, os exames necessários para confirmação em biópsia, devem ser realizados neste prazo.

Atualmente a espera para início do tratamento prejudica pacientes. Como resultado, a doença pode evoluir. Estudos mostram duas facetas importantes:

  • As chances de sobrevida para quem teve diagnóstico nos estágios iniciais é de 93%. Ao contrário, acontece em apenas 15% nos casos em que o diagnóstico é feito tardiamente.
  • Para o Governo, o tratamento em estágios iniciais tem menor custo. Desta forma, investimentos poderiam ser feitos em outras questões da saúde.

Evento apresenta dados positivos

Dia 4 de fevereiro, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) promove apresentação de estudo. 'Compreendendo a sobrevivência ao câncer na América Latina: os casos do Brasil' debate a sobrevivência ao câncer. Conforme divulgou, "o aumento da sobrevivência após o tratamento do câncer, não é igual para todos os tipos. No entanto, vem sendo melhor observado nas últimas três décadas".

O estudo trata de experiências. Ele identifica necessidades de sobreviventes de quatro tipos de câncer: mama, colo do útero, próstata e leucemia linfoblástica aguda (LLA).

De acordo com o Inca, o objetivo do estudo é subsidiar a formulação de políticas públicas.  Como resultado visa beneficiar os pacientes após o término do tratamento.

Prevenção reduz riscos

11 dicas do Instituto Nacional do Câncer

Não fume!

Essa é a regra mais importante. Essa medida vai prevenir o câncer, principalmente os de pulmão, cavidade oral, laringe, faringe e esôfago.

Ao fumar, são liberadas no ambiente mais de 4.700 substâncias tóxicas e cancerígenas. Elas são inaladas por fumantes e não fumantes. Resumindo, parar de fumar e de poluir o ambiente é fundamental para a prevenção do câncer.

Alimentação saudável protege contra o câncer

Valorize uma ingestão rica em alimentos de origem vegetal:

  • frutas,
  • legumes,
  • verduras,
  • cereais integrais,
  • feijões e outras leguminosas.

Da mesma forma, fuja dos alimentos pobre e ultraprocessados. São geralmente aqueles prontos para consumo ou para aquecer, assim como as bebidas adoçadas.

A alimentação deve ser saborosa, respeitar a cultura local, proporcionar prazer e saúde.

Mantenha o peso corporal adequado

Estar acima do peso aumenta as chances de desenvolver câncer. Por isso, é importante controlar o peso por meio de uma boa alimentação e realizar atividade física. Saiba que cerca de um terço de todos os casos de câncer podem ser evitados.

Pratique atividades físicas

Você pode, por exemplo:

  • caminhar,
  • dançar,
  • trocar o elevador pelas escadas,
  • levar o cachorro para passear,
  • cuidar da casa ou do jardim
  • buscar modalidades como corrida de rua,
  • ginástica,
  • musculação.

Experimente, ache aquela modalidade que você goste. Aproveite e busque fazer dessas atividades um momento coletivo, prazeroso e divertido. Tudo isso com a família e amigos, pode ser mais gostoso.

Você também pode optar por criar um momento introspectivo. Assim, você se conecta consigo.

Enfim, é possível encaixar a atividade física na rotina de cada um. Pode ser através do deslocamento ativo, indo ao trabalho caminhando ou de bicicleta. São diferentes hábitos e muitas as possibilidades.

Amamente

O aleitamento materno é a primeira ação de alimentação saudável. A amamentação pode ocorrer até os dois anos ou mais.

Acima de tudo, deve ser exclusiva até os seis meses de vida da criança. Assim ela protege as mães contra o câncer de mama e as crianças contra a obesidade infantil. Posteriormente, a partir de seis meses da criança, deve-se complementar a amamentação.

Exame preventivo

Mulheres entre 25 e 64 anos devem fazer o exame preventivo do câncer do colo do útero.

As alterações das células do colo do útero são descobertas facilmente no exame preventivo. O nome do exame é Papanicolau. Essas alterações são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso, é importante a realização periódica do exame.

Tão importante quanto fazer o exame é saber o resultado. É preciso seguir as orientações médicas e o tratamento indicado.

Vacine contra HPV

Vacine contra o HPV as meninas de 9 a 14 anos e os meninos de 11 a 14 anos.

A vacinação contra o HPV, disponível no SUS, e o exame preventivo (Papanicolaou) se complementam. Ambas são ações de prevenção do câncer do colo do útero. Mesmo as mulheres vacinadas, quando chegarem aos 25 anos, deverão fazer um exame preventivo. A medida deve ser a cada três anos. Isso ocorre porque a vacina não protege contra todos os subtipos do HPV.

Vacine contra a hepatite B

O câncer de fígado está relacionado à infecção pelo vírus causador da hepatite B. E a vacina é um importante meio de prevenção deste câncer.

O Ministério da Saúde oferece a vacina contra esse vírus. Está disponível nos postos de saúde do país. Indicada para pessoas de todas as idades.

Evite a ingestão de bebidas alcoólicas

Seu consumo, em qualquer quantidade, contribui para o risco de desenvolver câncer. Além disso, combinar bebidas alcoólicas com o tabaco aumenta a possibilidade do surgimento da doença.

Evite comer carne processada

Presunto, salsicha, linguiça, bacon, salame, mortadela, peito de peru e blanquet de peru aumentam a chance de desenvolver câncer.

Isso porque as carnes processadas contêm conservantes. Os nitritos e nitratos podem provocar o surgimento de câncer de intestino (cólon e reto). Já o sal pode provocar doença no estômago.

Evite a exposição ao sol entre 10h e 16h

Use sempre proteção adequada: chapéu, barraca e protetor solar, inclusive nos lábios.
Para exposição ao sol durante a jornada de trabalho prefira: chapéu de aba larga, camisa de manga longa e calça.

Fonte: Inca

Para saber mais sobre saúde, acompanhe a AMMG nas redes sociais!