login
Primeiro acesso? Clique aqui

Este site foi desenvolvido com tecnologias avançadas para
lhe proporcionar uma experiência incrível.
Infelizmente, este navegador não é suportado

Sugerimos que você use o
Google Chrome para melhores resultados.

Um encontro imperdível

8 de setembro de 2021

Encontro ‘Como ser um cuidador que se cuida’ abre as celebrações do ‘Setembro Amarelo’

 

A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM), Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed MG) e Sociedade de Acadêmicos de Medicina de Minas Gerais (Sammg) abrem as celebrações do ‘Setembro Amarelo’, dedicado à prevenção do suicídio, no dia 13 de setembro, segunda-feira, às 19h, com o encontro ‘Como ser um cuidador que se cuida’. A jornalista e escritora Leila Ferreira, e o teólogo, capelão no Moffitt Cancer Center (EUA), mestre em Ciências da Religião e doutor em Saúde Coletiva, Roberto Pereira Miguel, são os convidados. O encontro será coordenado pelo diretor de Comunicação da Sociedade Mineira de Cardiologia, Marconi Gomes.

 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), não foi a pandemia do novo coronavírus que desencadeou a piora na saúde mental e emocional dos médicos no Brasil e no mundo. Antes, muito antes, uma boa parte dos médicos e profissionais da saúde já apresentava sintomas e transtornos depressivos, ansiedade e estresse. No entanto, os que atuam na linha de frente da Covid-19 têm até 95% mais chance de desenvolver depressão, conforme algumas pesquisas.

 

Leila Ferreira relata sua própria experiência para mostrar o quanto é importante cada indivíduo saber lidar com a sua saúde mental, especialmente quando são médicos e demais profissionais da saúde que têm o papel de cuidar do paciente e, por vezes, não conseguem dar atenção a si mesmos. A jornalista se descreve como uma paciente em constante dança com a depressão: ora em harmonia, ora em desarmonia. Segundo ela, é preciso expor as fragilidades para se fortalecer. No entanto, grande parte dos profissionais médicos procura não se expor para não mostrar suas vulnerabilidades em seus ambientes de trabalho, embora muitas vezes estejam vivenciando momentos de profundo sofrimento e angústia. Procuram, desta forma, parecer mais fortes do que realmente estão para seus pacientes e para seus pares.

 

Marconi Gomes explica que um paradigma que o médico precisa quebrar é o de expor os seus problemas e dilemas: “Assim seremos muito mais eficazes ao lidar com o sofrimento das pessoas, sobretudo como agentes diretos na promoção à saúde”. Ele ainda avalia que há uma resistência, especialmente da classe médica, para se cuidar. “De maneira geral, médicos podem ser treinados, de forma equivocada, para ter um pouco mais de insensibilidade com o sofrimento humano, como se isto pudesse nos proteger das angústias que presenciamos.”

 

Roberto Miguel compartilha sua vivência como capelão em um hospital norte-americano onde acompanha pacientes em estado terminal e seus familiares. Ele percebe a grande dor de quem está em sofrimento durante o tratamento, mas também a vulnerabilidade e a pressão das equipes que prestam a assistência. Ele considera que os profissionais precisam de um auxílio psicológico, às vezes até espiritual, para que possam dar suporte às pessoas que mais necessitam. Para Marconi Gomes, sem buscar apoio e tentando se descolar de um atendimento humanizado, quem cuida pode acreditar que esteja tratando o indivíduo, mas pode estar prestando um desserviço ao mostrar insensibilidade diante da dor de outro ser humano.

 

O encontro será no formato híbrido, sendo a parte presencial no Teatro Oromar Moreira, sede da AMMG, e a online com transmissão via YouTube da entidade. Ainda em setembro, nos dias 20 e 27, acontecem, respectivamente, a mesa redonda ‘‘A saúde mental dos médicos e acadêmicos de medicina no Brasil’, e a peça teatral ’Francisco de Assis – Do riso ao riso’.

 

Todos os eventos serão híbridos (online e presencial), às 19h, com inscrições prévias nos sites da AMMG e CRM.

Confira abaixo a programação 

13 de setembro (segunda-feira)

Local: Teatro Oromar Moreira (Avenida João Pinheiro, 161, Centro)

Horário: 19h

Palestra ‘Como ser um cuidador que se cuida’

LINK PARA INSCRIÇÃO PRESENCIAL: http://sistemas.crmmg.org.br/cursos/setembro_amarelo_dialogo

LINK PARA ACESSO AO YOUTYBE: https://www.youtube.com/user/sigaammg

 

20 de setembro (segunda-feira)

Local: Auditório do CRM (Rua dos Timbiras, 1200, Centro)

Horário: 19h

Mesa Redonda ‘A saúde mental dos médicos e acadêmicos de medicina no Brasil’.

LINK PARA INSCRIÇÃO PRESENCIAL: http://sistemas.crmmg.org.br/cursos/setembro_amarelo_forum

LINK PARA ACESSO AO YOUTUBE: https://youtu.be/xMQ26_wQ7EI

 

27 de setembro (segunda-feira)

Local: Teatro Oromar Moreira (Avenida João Pinheiro, 161, Centro)

Horário: 19h

Peça Carlos Nunes ’Francisco de Assis – Do riso ao riso’

LINK PARA INSCRIÇÃO PRESENCIAL: http://sistemas.crmmg.org.br/cursos/setembro_amarelo_teatro

LINK PARA ACESSO AO YOUTUBE: https://www.youtube.com/user/sigaammg

 

X