Oftalmologia na Atenção Básica

Especialistas abordam oftalmologia na Atenção Básica

 

Reunião Multidisciplinar, dia 26 de agosto, levanta problemas relacionados à assistência e à saúde dos olhos

 

Oftalmologia na Atenção Básica

Data: 26 de agosto, sábado.

Horário: 8h30 às 12h30

Local: Teatro Oromar Moreira (Avenida João Pinheiro, 161, Centro, Belo Horizonte)

Informações e inscrições: (31) 3247 1619 ou seaci@ammgmail.org.br

Público alvo: estudantes de medicina, médicos e demais profissionais da saúde.

 

A Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), por meio de sua diretora científica, Luciana Costa, convidou especialistas da Sociedade Mineira de Oftalmologia (SMO) para tratar o tema ‘Oftalmologia na Atenção Básica’, na Reunião Multidisciplinar do dia 26 de agosto, sábado, de 8h30 às 12h30, na sede da entidade. De acordo com o oftalmologista e diretor da SMO, Luiz Carlos Molinari, o objetivo do encontro é ampliar a capacidade de resolução clínico-oftalmológica na Atenção Básica à Saúde, qualificando os profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS) quanto ao manejo clínico, à organização dos serviços e dos processos de trabalho e possíveis encaminhamentos a níveis secundários e terciários.

Os principais problemas oftalmológicos que atingem a população brasileira são catarata, infecções, miopia, estrabismo, ceratocone, presbiopia, glaucoma, retinopatia diabética e Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), de acordo com Molinari. “Os problemas oftalmológicos passam por todas as idades. Daí a importância de ações preventivas e de investigação diagnóstica relacionadas às comorbidades, tais como diabetes e hipertensão, e que precederão o atendimento especializado em oftalmologia”, destaca.

Ele cita ainda a relevância da atenção materno-infantil, por meio do teste do olhinho, ao nascimento, 4, 6, 12 e 25 meses de idade. “A assistência prevê triagem por exame de fundo de olho (mapeamento de retina) em crianças prematuras com peso ao nascer abaixo de 1500 g ou idade gestacional inferior a 35 semanas, duas a três vezes ao ano, nos dois primeiros anos.” Nos casos de pessoas com diabetes mellitus, são necessários exame de fundo de olho e sessões de foto-coagulação a laser. Quando o quadro é de hipertensão arterial dever ser feito, anualmente, o exame de fundo de olho, diz o oftalmologista.

Segundo o coordenador da reunião, é importante que todos profissionais da área de saúde tenham condições de oferecer o atendimento básico a um paciente que chega reclamando de algo nos olhos: “A assistência primária pode ajudar no diagnóstico rápido e a retirar o paciente da fila que, na rede pública, costuma esperar meses pela consulta com o especialista”, explica. Entre os que trabalham na atenção básica estão: médicos recém-formados, médicos da Família e Comunidade, pediatras, obstetras, clínicos, cardiologistas, endocrinologistas e acadêmicos.

Atualmente, conforme Molinari, já existe um curso de qualificação para quem atua junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), oferecido pelo Núcleo de Educação em Saúde Coletiva da Universidade Federal de Minas Gerais (Nescon/UFMG). “A portaria Nº 1631, de 1º de outubro de 2015, aprova critérios e parâmetros para o planejamento e programação de ações e serviços de saúde no âmbito do SUS, e os cursos seguem esta normativa”, acrescenta.

Também participa do evento a Sociedade dos Acadêmicos de Medicina de Minas Gerais (Sammg). A Reunião Multidisciplinar é promovida pela diretoria científica da AMMG. Inscrições: seaci@ammgmail.org.br ou (31) 3247 1619.

ENTREVISTAS E MAIS INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:

Assessoria de Imprensa da AMMG:

Daniela Colen / Nétali Leite/ Renata Clímaco

(31) 3247 1615 / 3247 1639 / 3247 1630